A falta de sonho assombra o meu sono

A realidade dura de se viver

 

O engodo me enjoa

 

Quero sorrir

Mas a esperança se cala na penumbra da noite

 

Mais um guri perdido

 

E o grito do pássaro negro ecoa por toda a cidade

 

Quero crer

Mas a ilusão se quebra na penumbra da noite

 

Mais um corpo jogado

 

E o grito do pássaro negro ecoa por toda a cidade

 

Quero amar

Mas a pele se escama na penumbra da noite

 

Mais um mico papagaio ou jacaré morto

 

E o grito do pássaro negro ecoa por toda a cidade

 

Quero nascer

Mas o aborto se faz na penumbra da noite

 

Mais uma árvore estuprada

 

E o grito do pássaro negro ecoa por toda a cidade

 

Quero chorar

Mas a lágrima seca na penumbra da noite

 

Mais um naco de mim levado

 

É o grito do pássaro negro que ecoa por toda a cidade

 

Sinto cheiro de putrefato no ar

 

 

O GRITO DO PÁSSARO NEGRO

(véspera de eleição presidencial no Brasil)

Beatriz Breves