Vã alugada, táxi dividido, carro compartilhado,  boa parte dos moradores do Edifício Espírito Santo estava em polvorosa, afinal, a sua autoridade máxima, a Síndica, ia casar naquele sábado.

 

Inevitável acontecer, sempre há um atrasado que fica para trás. Um vizinho retardatário perdeu o casamento.

 

A cerimônia era em um belo clube no Rio de Janeiro, onde todos os cuidados foram tomados para o casamento. Até mesmo um belo altar, com vinte bancos enfileirados em dez de cada lado, aguardava os convidados, a família dos noivos e os noivos.

 

Tudo pronto para o início da celebração marcada para as 20h30min.

 

- Já são 20h30min - alguém falou na expectativa.

- É, vamos ver quanto tempo a noiva vai se atrasar - outro replicou!

- Aposto que não vai levar mais do que 20 minutos, pois ela já chegou - uma senhora apostou.

 

20h35min, 20h40min, 20h45min.

 

- Já são 15 minutos de atraso - uma moça disse.

- Isto é de praxe - a senhora que apostou os 20 minutos de atraso explicou.

- Para mim o casamento só vai começar as 21h00min - alguém cobriu com 30 minutos, os 20 minutos da aposta da senhora.

 

20h50min, 20h55min, 21h00min

 

- É, acho que você vai ganhar a aposta. São 21h00min! – a senhora falou com o alguém que apostou nos 30 minutos de atraso da noiva.

 

No entanto, o relógio marcou 21h05min, 21h10min, 21h15min e nada. Cadê a noiva?

 

- Ela está exagerando, vocês não acham? 45 minutos de atraso é muita coisa! – Um senhor de seus 70 anos comentou, enquanto pedia para alguém o deixar sentar na ponta do banco, pois não havia mais lugares e ele já estava demasiadamente cansado.

 

Na verdade, os saltos altos começavam a doer nos pés das mulheres. Quem estava de pé, não suportava mais; quem estava sentado, não agüentava mais!

 

21h20min

 

Mas e a noiva?! Cadê a noiva?

 

21h25min e nada da noiva.

 

- Será que ela desistiu do casamento? – uns e outros falavam!

 

Às 21h30min muitos estavam com raiva da noiva!

 

Como ela pode fazer isto com a gente???

 

Houve até quem quisesse fazer protesto: “Queremos a noiva! Queremos a noiva! Queremos a noiva!”

 

E a noiva nada!

 

1hora e 35 minutos de atraso.

 

Isto é abuso! Vamos embora! – um jovem mais atrevido no meio dos convidados falou! Mas ninguém deu atenção a ele.

 

Até porque, apesar do calor que penetrava o salão, do lado de fora, uma tempestade tomava conta dos céus. Não dava para ir embora! Como que adivinhando, tentando aplacar o incomodo, os garçons começaram a servir água e refrigerantes.

 

A raiva começou a se transformar em preocupação:

 

- Será que aconteceu alguma coisa com a noiva? Será que ela passou mal?

 

01h40min minutos de atraso, finalmente, o noivo apareceu para justificar o acontecido:

 

- Não é a noiva, é o padre que não chega!

- Como assim – todos quiseram saber!

- O padre sumiu – o noivo insistiu!

 

Não demorou muito a indignação tomou conta de todos.

 

O padre sumiu... o padre sumiu... o padre sumiu...! - Ao pé do ouvido, um convidado passava para o outro!

 

- Mas como o padre pode ter sumido?! – Uns perguntavam com perplexidade.

- Eu já não sei de mais nada. No celular, há uma hora atrás, ele falou que estava chegando, agora está fora de área! – Sem saber o que fazer, dizia o noivo!

 

Todos até então com raiva da noiva, agora sentiam compaixão.

 

- Cadê o padre? Como pode? – Todos exclamavam!

 

21h45min

 

- Alguém conhece algum padre? – Um perguntou.

 

21h50min

 

- Gente, alguém conhece algum padre?! – Outro insistiu falando mais alto!

 

21h55min

 

A noiva chorava tanto, que sua maquiagem deveria ser toda refeita! E sem falar do vestido da irmã da noiva, uma das madrinhas, que ficou ensopado de lágrimas, quando ela tentou consolar a irmã! – alguém próximo a família comentou.

 

22h00min

 

O pai da noiva estava à beira de um enfarto, pois sofria de pressão alta e estava vermelho roxo, preocupando a todos.

 

22h05min

 

A mãe da noiva, já no céu, tentava aflitamente interferir junto aos anjos para que tudo se resolvesse no casamento.

 

22h10min

 

A madrasta da noiva tentava desesperadamente acalmar o pai da noiva, evitando que o pior acontecesse, pois, além da ameaça do enfarto, ele já queria dar uma surra no padre, se ele aparecesse!

 

22h15min e nada de padre.

 

Todos estavam indignados com o acontecido. A raiva, antes da noiva, agora fora transferida para o padre.

 

O protesto proposto agora era: “Queremos o padre! Queremos o padre! Queremos o padre!”

 

O sapato de quem não havia se levantado, disfarçadamente, começou a ser descalço para debaixo dos bancos. Para quem estava de pé, não havia solução. No entanto, para estes, a vingança era que quem estava sentando não podia se levantar nem mesmo para ir ao banheiro. Um infeliz tentou esta façanha, quando cinco pessoas disputaram, no modelo da dança das cadeiras, o seu lugar, agora ex-lugar, no banco.

22h20min

 

- Qualquer um faça o casamento! - Um convidado propôs!

- Eu faço! - Um dos padrinhos se ofereceu imediatamente.

 

Parecia a solução, se não fosse o fato de a noiva querer um padre! A noiva queria um padre de verdade!!!

 

22h25min

 

Alguém começou a lembrar que a noiva bordou o seu vestido por todas as noites nos últimos meses!

 

22h26min

 

Lembrou dos parentes que vieram de longe!

 

22h27min

 

Dos amigos que vieram prestigiar!

 

22h28min

 

Do casamento sonhado desde há muito tempo, quando sua mãe ainda era viva!

 

22h29min

 

E muitos se emocionaram, em compaixão aos noivos.

 

22h30min, cadê o padre?

 

-Gente, isto é inadmissível? – Alguém tentava impor!

 

22h31min

 

A família do noivo, também, angustiada, tentava consolar.

 

22h32min27seg, sim porque, aquelas alturas, cada segundo já estava sendo contado e parecia uma eternidade.

 

Até que alguém levanta a hipótese de ter acontecido algo com o padre. E foi pior, porque todos, antes com raiva da noiva, agora com raiva do padre, culpados, não sabiam mais o que sentir frente a possibilidade de algo ruim ter acontecido ao padre.

 

22h34min30seg

 

- Alguém tente convencer a noiva a casar sem padre! – um convidado pedia, tentando acabar logo com aquela situação de angústia.

 

22h35min45seg

 

- Nem adianta, ela quer um padre – outro convidado retrucava.

 

22h36min10seg

 

Aleluia, um padre finalmente apareceu. Não foi o padre contratado, mas um substituto.  E o que importa?! Afinal era uma noite de festa!!!

 

22h45min

 

Com, precisamente, duas horas e quinze minutos de atraso, deu-se início a cerimônia. O padre pediu desculpas dizendo que o padre contratado, residente em Cachoeira do Macacu, além da dificuldade de ser tetraplégico (!?!), havia adoecido e, por isto, tinha solicitado que ele realizasse a cerimônia. O que ele não contava, por não residir no Rio, era com o trânsito, devido à árvore de natal, da lagoa Rodrigo de Freitas, razão de seu atraso.  Afinal é Natal!

 

22h55min

 

A noiva entrou linda e exuberante e o amor de Roberta e Patrick brilhou sobre todos os convidados.

 

 

 

CADÊ A NOIVA, CADÊ O PADRE?

Uma homenagem a Patrick e a Roberta

Beatriz Breves